Sex and the City: uma das mais importantes séries sobre o universo feminino.

Sex and the City, série baseada no livro homônimo de Candice Bushnell, foi um fenômeno dos anos 2000, sendo responsável por influenciar grande parte da geração de mulheres dessa década. A obra conta a histórias de quatro amigas que vivem em Nova York: Carrie, Miranda, Samantha e Charlotte, mulheres independentes e que vivem conversando sobre moda, sexo e relacionamentos. Todas têm sua importância na trama, mas é Carrie que protagoniza a maioria dos episódios. Ela é uma escritora que tem uma coluna de sucesso em um importante jornal de Nova York, chamada Sex and the City. Em seus textos, Carrie compartilha suas experiências, que dão base a cada episódio, e também a de suas amigas, a respeito de diversos assuntos relacionados ao universo feminino.

Mesmo com uma protagonista marcante, as outras personagens são tão importantes quanto Carrie. Cada uma com sua personalidade e características próprias. É impossível assistir ao seriado, e não se identificar com uma delas. Samantha é a mais liberal do grupo, não tendo nenhum problema em fazer sexo casual e sair com vários homens ao mesmo tempo, ela é a mais velha e também a mais confiante de sua aparência. Miranda, é uma advogada extremamente irônica e realista, e muitas vezes, é ela a responsável por aconselhar as amigas. Já Charlotte, é a mais conservadora, apresentando todos os clichês de filmes românticos, ela sonha em casar, ter filhos e ser feliz para sempre. Juntas, essas quatro personalidades tão distintas rendem ótimos momentos de drama e comédia, mostrando que, mesmo com as diferenças, ainda é possível ter uma amizade duradoura e verdadeira.

Além de relacionamentos, outro assunto que ganha bastante espaço na série é o mundo da moda. Todas as quatro, mas principalmente Carrie, são obcecadas por esse universo, e acabam fazendo de tudo para conseguir determinadas peças e ir aos desfiles. Como vivem em Manhattan, um dos bairros de Nova York onde a moda é um dos assuntos mais comentados entre seus moradores, as amigas estão rodeadas por lojas de grifes, modelos e estilistas. Para quem curte esse universo, Sex and the City é um prato cheio de referências dos anos 2000, e mesmo hoje, ao assistir o programa, percebemos diversas tendências que ainda continuam presentes nas principais passarelas.

Atualmente, diversos seriados aproveitam seus personagens para falar de empoderamento feminino. Mas, um dos pioneiros dessa temática na televisão foi Sex and the City. Em 1998, ano que foi lançada a série, esse assunto ainda era muito pouco debatido nas obras audiovisuais, tanto cinema como televisão. Porém, a HBO, emissora responsável pelo programa, viu na história das quatro amigas, uma oportunidade de lançar um ótimo entretenimento, mas também fazer com que seu público reflita sobre as condições e estereótipos aos quais as mulheres são submetidas. Ao mostrá-las discutindo sexo, assim como os homens fazem livremente e em nenhum momento são julgados por isso, o roteiro nos proporciona uma nova visão de um assunto que era, na maioria das vezes, retratados pelo universo masculino. É uma quebra de padrão, ligada à liberdade sexual, que acabou sendo responsável por influenciar outras séries nos anos seguintes. Não é à toa que hoje o número de séries e filmes com protagonistas femininas e independentes aumentou de forma considerável. Alguns dos programas que podem ser citados e que sofreram influência de Sex and the City são Girls, Orange Is The New Black, GirlBoss, entre outros.

Por apresentar uma história que teria tudo para ser clichê, mas da perspectiva de personagens independentes e inovadoras, o seriado foi um sucesso de audiência e influenciou muitas mulheres. Mesmo após o seu fim, na sexta temporada, ainda foram realizados dois filmes, em 2008 e 2010, continuando a jornada das quatro amigas. E, para a alegria dos fãs, há boatos de que um terceiro filme está sendo produzido, tendo estreia prevista para 2018. O que prova o quanto a histórias de Carrie, Miranda, Samantha e Charlotte, se manteve contemporânea e relevante ao longo dos anos.

          Esse texto é uma parceria com o blog Uppermag

Iai amores gostaram da dica? Me contem aqui quem já assistiu? Essa parceria com o Uppermg é show e espero muito que vocês gostem. Ahh não deixem de visitar a página deles, tenho certeza que vocês vão adorar.#ficaadica

Um super beijo e até o próximo post!

Grace Medeiros.                                          

Moda na academia, sim!!!

Olá belezuras, tudo bem com vocês?

Como vocês sabem eu me caso em Outubro e estou tentando me manter no meu projeto #secanoiva hehe. Estou tentando cuidar mais da alimentação e na semana passada comecei a academia, a questão é que só percebemos como estamos sem roupa fitness quando precisamos de uma né. E foi o que me aconteceu, olhei no meu guarda roupa e nada de roupa de academia, que tristeza hehe.

Bom foi aí que comecei a pesquisar looks que podem ser confortáveis e lógico estilosos até mesmo na hora da academia né, e percebi que hoje as lojas desse segmento está bem mais por dentro da moda do que algum tempo atrás, dá sim pra sentir gata com a roupa suada hehe. Foi o tempo em que roupa de academia era aquele shorts e blusa velha, ou até mesmo blusão do pai ou irmão, hoje a moda fitness está principalmente nas passarelas de todo o mundo e é tendência sim, rola até uma mistura super cool entre uma peça esportiva e uma peça mais arrumada, e posso dizer ficar mara.

A Leggings é um clássico desse segmento né, quem não tem uma em casa no guarda roupa, super versátil e confortável, facilita e muita na atividade física. Hoje encontramos várias peças mais estilosas, com transparências, cores, e formatos.

Os Tops também são peças que não podem faltar, além de ser bem mais confortável e pratico do que sutiã por exemplo, tem top um mais lindo que o outro, além de claro dar sustentabilidade para os seios na hora da atividade física. Essa é outra peça que hoje nas lojas você encontra de vários modelos e cores.

E o queridinho do momento o Body, peça linda e sexy que pode ser usada tanto na academia ou até mesmo para passear.

É isso meus amores, espero que tenham gostado e se inspirado assim como eu.

Um super beijo e até o próximo post!

Grace Medeiros.

Sobrancelha de Pena. Será que essa moda pega?

Olá minhas belezuras, tudo bem com vocês?

Hoje eu vim falar sobre uma tendência que nas ultimas semana está dando o que falar, uns odeiam outros amam, que é a moda da Sobrancelha em forma de pena. Essa tendência surgiu com a maquiadora Stella Sironen, na Finlândia e consiste em dividir a sobrancelha com uma escovinha ao meio, deixando assim pelinhos para um lado e outros pelinhos para o outro, ela ainda finalizou com cola bastão e cera, gerando esse efeito.

Tudo isso foi uma grande brincadeira entre ela e o amigo, mas viralizou na internet e está dividindo opiniões. O legal disso tudo é a brincadeira, que pode ou não ser levada a sério, muitos estão criticando achando bizarro e super esquisito, já outros estão levando na brincadeira e criando outras composições com a sobrancelha divida no meio.

Iai meninas, vocês acham que esse moda pega?

Um super beijo e até o próximo post!

Grace Medeiros.